Elaboração de projetos culturais, palestras, oficinas, curso, animação de aniversários infantis.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Acreditar, é possivel!

Acredito em grande possibilidade de avanço com a reeleição do Governador Iberê Ferreira e do vice Vagner Araújo de Lucrécia/RN. Será um novo começo para o RN, a contar com as ações do Governo Lula que se seqüenciarão com a eleição da candidata Dilma Roussef. No Senado Federal será necessária a presença de Vilma de Faria e do companheiro Hugo Manso, mesmo sabendo que teremos uma disputa ferrenha. Nesse cenário, o PT almeja a reeleição de Mineiro e Fátima Bezerra e quem sabe até a inserção de dois representantes nas duas esferas. Mesmo tendo uma das melhores parlamentares da Câmara Federal, vou de Geraldão do PT, em busca de ampliação. Tudo é possível.

Vá entender!

Abraçar uma causa e lutar por ela em cidade pequena é complicado. Dentro do poder você encontra figuras que estão ali no meio, mas que entende a precisão de tantos esforços de igualdade para todos. Enquanto isso encontramos outros velhos conhecidos de salto alto que já se acham “Jorge Bucho” e passam de nariz empinado. Embora tenha consciência do que vê prefere silenciar ou ignorar. Pena que a inocência não abrange toda comunidade.

A luta pela causa

Outro dia passeando pelas calçadas de Janduís, alguém me perguntava se eu seria candidato a vereador em 2012. Espantando perguntei qual o sentido da pergunta e a pessoa respondeu que seria pelo o comprometimento com as causas culturais. Como a política divide as melhores famílias, respondi que milito na política pela busca da justiça cultural para todos; porém já sou contemplado com os mandatos dos vereadores do PT, em especial Raimundo e Braga. Não me vejo um tanto aventureiro.

Esporte é cultura

Conversei com uma turma de veteranos do futebol municipal composta por Segundo, Valença, Concone, Bené e outros mais que fizeram o esporte de nossa cidade brilhar no início da década de 90. Os mesmos querendo ajuda para completar inscrição de campeonato de veteranos em Antonio Martins/RN. A turma veio meio cabisbaixa, pois ainda faltava completar o valor da inscrição. Conversamos e juntos conseguimos sanar um problema conhecido por todos na cultura. “Uma mão lava a outra e as duas lavam o rosto”.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Escambo, um olhar a mais...

Enquanto sonhávamos acordados no Escambo de Fortaleza/CE, um homem da rua dormia com fome num banco da praça do Ferreiro (Foto a direita).
Foto: Diego Tavares
Movimento Escambo Popular Livre de Rua é um dos poucos movimentos culturais em atividade no Brasil atualmente. Esse movimento que nasceu em Janduís através de uma ação política de combate aos coronéis em 1991 e a calamidade pública. Venho acompanhando a todos desde 1994 como artista e vejo as significativas transformações culturais e sociais.

E esse olhar, só enxerga quem está dentro das favelas, dos becos, convivendo com gente como a gente. Muitos que estão nos gabinetes tentam bloquear as atividades contidas, onde os artistas se apresentam e dão oficinas por comida, água e transporte. Pura demonstração de demagogia ética, social e moral.

Me refiro a cidade de Fortaleza, que os grupos precisam de alvará pra irem às praças que já são deles. Em Natal, quem quiser ir a apresentar nas praças tem que pagar R$ 17,50. Às vezes, uma rodada de chapéu cai cinco, oito ou dez reais. No Rio de Janeiro, Recife o tratamento no é diferente.

Enquanto os maiores investimentos das empresas vão pros clubes, Copa do Mundo, teatro de palco, filmes, ficamos a espera dos Editais do Governo Federal e em casos do Governo Estadual. Tanto tempo de história e tem coisas que ainda são piores que o inicio dos anos 90. Até nós artistas vamos ficar a espera de uma política de cultura de verdade dentro dos municípios?

Acredito que se o Escambo fosse vendido em troca de votos, favores e tivesse um dono, não nos faltariam padrinhos e lideranças ao nosso redor. Já fizemos muito por pessoas que entram na política por uma porta e chuta a gente pela chaminé. Como não temos direção, hierarquia, mandante somos ainda uma nação forte se cabrestos e sem coleiras.

A discussão cultural precisa avançar em nossas cidades, nossas regiões e em nossos estados. Já mostramos que nossos compromissos são mais com a comunidade do que com a mediocridade daqueles que ainda não enxergam os novos tempos e as mudanças na cabeça do nosso povo.

Fórum dos Movimentos populares

O Fórum Movimentos Populares de Janduís, Vem se reunindo sempre para manter em dias os assuntos das comunidades rurais através de suas associações. Todos vão estar reunidos dia 26 de julho, quando o Sindicato fará uma justa homenagem ao dia do Trabalhador Rural, com evento que começará às 09h, na Casa de Música.

Silêncio...

Parece que depois da Copa do Mundo e com o recesso Legislativo, os vereadores de Janduís, acalmaram mais o ânimo em relação às Eleições para nova Mesa Diretora da Câmara Municipal. Algumas investidas vêm rolando nos bastidores. Não se sabe pra onde ou pra quem. O certo é que a cadeira de presidente que deveria ser disputada só em janeiro de 2011, mas que será antecipada vem dano comentários na cidade.

domingo, 11 de julho de 2010

Fórum de debates culturais

Nos próximos dias estarei propondo aos grupos da região para que possamos criar nosso Fórum de debates. Vamos debater sobre nossos problemas políticos, culturais, sociais e sobre nossas agendas. Vamos formar uma rede oestena de debates culturais, para que assim possamos debater mais com as razões do que com as emoções.

Já sugeri isso aqui em Janduís. E queremos ver se conseguimos unificar todos os grupos e artistas da cidade. É difícil, mas, não é impossível. Precisamos de forças próprias para vencer os obstáculos com trabalho. Quando usamos nossas forças diante dos fracos, ficamos cada vez mais fracos e menores do que nossos algozes. É melhor se decepcionar com nossos próprios atos do que acreditar num salvador de mentira.

Cultura

Em Janduís, por exemplo, a cultura conta com equipamentos de ponta para o desenvolvimento de atividades através do Ponto de Cultura Em Cena Ação. No Ponto de Cultura Semearte, o mais antigo, tido apenas como mais um projeto do Ministério, destaque para Banda de Música que vem dando o que falar. Todo talento possível está brilhando na banda 12 de junho. Por outro lado, não temos as atividades de teatro, de capoeira e as aulas de informática que estão paradas há oito meses.

Temos grupos que vivem a mercê de uma política cultural ainda por vir, onde não sabemos o rumo nem direção de tal. Resultado, as capacitações que chegam dar trabalho formar... Não que as capacitações não sejam importantes, é que nesse momento é preciso mais que complacência para ter um movimento mais aguçado. Se o Poder Público Municipal quiser, pode fazer as coisas se tornarem mais agradáveis. Os apoios existem, porém de maneira a desejar.

Diante de tudo, é sempre importante saber que o Poder jamais vai querer um movimento autônomo. Teremos sempre que conviver com os cabrestos financeiros, com as criações de leis para os rebeldes e benesses para os mocinhos que preferem silenciar. Tudo é natural, porém nada é normal.

Recesso

Os vereadores de Janduís estão em recesso parlamentar. Contudo o trabalho de articulações políticas para as Eleições da Câmara Municipal não tem parado. Segundo comenta-se a rua, uma remota possibilidade de alguém entregar os pontos do fracasso e roer a corda. Nesse momento pra quem anda desgastado não se escolhe aliados honestos, trairas, ou como for... O importante é disfarçar e fazer de conta que está tudo bem. Afinal, pra político fascinado por poder, "Um tapinha não dói".

Encontro de Alexandria

A entrega dos certificados do Projovem Trabalhador realizada dia 03 de julho em Alexandria/RN, reuniu muitos artistas e grupos culturais. Além de apresentações tivemos algumas conversas políticas avanças. Em breve estaremos realizando encontros com grupos e artistas em algumas cidades apresentando propostas políticas da candidatura de Iberê e Vagner Araújo. Na certeza o Dep. Mineiro tem a simpatia de muitos artistas oestanos.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Cultura de Janduís

Lamento os problemas políticos de Janduís abalarem as estrutura de grupos, artistas e afins que sempre buscaram fugir da ociosidade através da cultura local e que mantém o nome da cidade como cidade da cultura. Aqui se conta 15 grupos. Vejo poucos em atividades. Poderíamos ter mais? Com certeza.

Em 2008 nos juntamos em nome de um projeto coletivo e de um sonho de mais de 20 anos para que a cultura se finque sustentável através de um órgão como Fundação de Cultura, aprovadapara em 2009 porém não instalada, para gerir as políticas públicas e dar vida a todos os grupos já existentes e possibilitar a criação de outros. Até aqui a poder público apóia a cultura de forma tímida, já que esperávamos mais.

A Casa de Cultura que antes tinha um vigia, recepcionista e uma ASG, ambos foram retirados por questões políticas e ainda alegaram crise econômica. Até aí tudo bem. Se é crise há prioridades para investimentos, nesse caso não somos prioridades. O Estado deu a estrutura e paga ao administrador. Seria coerente ao município dar condições de funcionamento a órgãos importantes como é o caso da Casa de Cultura. Não isnisti mais... Faço eu mesmo a limpeza de salas e banheiros, buscando sempre ajuda dos vizinhos. Tá dando certo.

Contudo, o Movimento está rachado, desestimulado. Grupos estão em decadência como é o caso do Rítmos e da Cia. Brincantes do Sertão. O município apóia sim em Xerox, transporte se for mais de um grupo solicitar, postagens, articula oficinas através do SEBRE, mas não há uma lei de incentivo, política de sustentabilidade.

Ciranduís ganhou um premio em 2007 e o material ta acabando, de onde vai tirar outro se não tiver política instalada? É ficar sempre buscando por fora? Hoje temos ativos o Balai de Artes, Os Filhos do Sol que ganharam o Mais Cultura que também tem prazo pra terminar, Swing Brasil que luta por conta própria, o Amigarte com a força de Danilo e do Daniel Gurgel, o Ginga ainda se movimenta e denovo ressurge o Sondagem.

A política dividiu nossos grupos, nossos artistas. Não venho dizer aqui que o Poder não apóia, apenas precisamos de políticas públicas sustentável. A cultura é o patrimônio imaterial mais importante que a cidade dispõem.

Para tanto, acreditamos, brigamos, sonhamos... Decepções! E agora? Acreditar em quem? Ainda há tempo pra muitas coisas, porque temos como fazer. Basta querer e sentir o quanto a cultura é importante para Janduís.

Relacionamento em Janduís

Há quem pense que tenho algum problema pessoal com algum secretário ou coordenadores da Prefeitura de Janduís. Engana-se! Claro que nada é 100%, tenho a antipatia de alguns e o respeito da maioria. Sempre fui bem recebido por todos, mesmo com discordâncias políticas vividas na cidade.

Exponho minhas opiniões em cima de coisas que vejo que pode ser melhor e que estão travadas. Muitos secretários jovens que tem seus potencias mas que páram por não disporem de liberdade administrativa para desenvolver os projetos comunitários. E isso, às vezes traz incômodos àqueles que vêem o poder como uma chave de entrada no céu ou como algo pessoal. Alguém que zela por um nome que nem pisca. Tudo passa, até. uva-passa.